Preparando a paleta

No início, pode parecer difícil arrumar as cores na paleta, mas com algumas instruções você verá que não há segredos. Esprema um pouco de cada cor - equivalente à superfície de uma moeda - em volta da paleta e formando pequenos montinhos.
Comece com o branco, em quantidade equivalente ao dobro das outras tintas, pois esta é a cor maus utilizada. Em seguida, vá dispondo as cores quentes ao longo de um lado, e as frias do outro. Você acabará desenvolvendo a sua própria forma de arrumar as tintas, dependendo da sua sensibilidade quanto ás cores e do seu estilo de pintura.
O centro da paleta deve ficar reservado às misturas, feitas com o pincel e espátula. Pegue um pouco de cada tinta que deseje combinar e vá fazendo adições até obter, no final do processo, a cor pretendida.
Os copinhos de metal, presos à paleta, são bastante úteis, embora você possa optar pelos recipientes de vidro. A grande vantagem dos copinhos de metal é que eles permitem lidar com os solventes (óleo de linhaça e terebintina) sem dificuldades. É bom, para um trabalho eficiente, ter tudo organizado e à mão.

Como diluir a tinta:
Misture a tinta com partes iguais de óleo de linhaça e terebintina. Pegue um pouco de cada material com o pincel e faça a mistura no centro da paleta. Com prática, será possível calcular as quantidades intuitivamente. No entanto, para começar, o ideal é que se processe a mistura aos poucos. Neste caso, é melhor ter a menos, pois pode-se acrescentar mais solvente se necessário. Lembre-se de ter sempre à mão um vidro grande com terebintina e um pano de algodão para limpeza dos pincéis. Nem pense em limpá-los na terebintina usada para as misturas! Caso contrário, os montinhos de tinta irão perdendo aos poucos a sua cor original.
Os vapores dos solventes podem ser prejudiciais à saúde. Por isso, trabalhe sempre que possível em ambiente ventilado. Evite também esse solventes em sua pele, por serem tóxicos.

Como segurar a paleta:
Apóie a paleta de modo que ela fique numa posição equilibrada e confortável. Ela deve tocar o seu braço logo abaixo do cotovelo. Um pintor experiente pode segurar também os pincéis, mas os principiantes devem se limitar a porta apenas a paleta, até ganharem mais confiança.

Como segurar o pincel:
O pincel funciona como a extensão natural da sua mão. Quanto mais detalhado o trabalho e quanto maior necessidade de um bom controle, mais próximo da virola (anel de alumínio que prende as cerdas) você deve segurá-lo. Para um trabalho mais gestual, proceda de modo contrário.

Como segurar a espátula:
Use a espátula para misturar as tintas na paleta, para aplicá-las à tela e para limpar a paleta. Segure o cabo logo acima da junção com a lâmina, com os dedos polegar e indicador. O cabo se apóia na palma da mão e os outros dedos seguram apenas frouxamente o cabo.
Quer fazer o Download deste curso completo no Formato PDF? Então Clique Aqui!
Reações:

Um comentário: